BANNERTOPO.png

o projeto
MATIZES
DE MINAS

Matizes de Minas é um projeto original que propõe, numa série de curtas, apresentar características históricas que colaboraram com a formação da identidade do povo mineiro. O episódio de estreia, viabilizado com recursos da Lei Aldir Blanc, apresenta Córregos, distrito fundador de Conceição do Mato Dentro, cujo núcleo histórico foi tombado no ano de 2001 pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais - IEPHA.
Com realização dos parceiros Coreto, Griô e Instituto Periférico, o vídeo tem direção de Henrique Cunha e traz informações sobre a origem do povoado, a deslumbrante natureza de seu entorno e a famosa iguaria com origem indígena que tem lugar de destaque na culinária tradicional mineira: o biscoito de polvilho.

FOTOBACK.jpg

CÓRREGOS

Conceição do Mato Dentro-MG

Conhecida como o coração de Minas Gerais, Conceição do Mato Dentro nasceu entre os paredões da Serra do Espinhaço, abriga a terceira maior cachoeira do Brasil - a Tabuleiro, e mais um sem número de quedas d’água deslumbrantes. Entre tanta exuberância natural, escondem-se tesouros históricos.

Conceição é uma das cidades mais antigas e importantes do ciclo do ouro no Brasil. As terras do município foram inicialmente ocupadas pelos índios Botocudos, descendentes dos Aimorés, que chegaram até a região através do vale do Rio Doce. A cidade começou a se formar por volta de 1702, quando foram encontrados os primeiros aluviões de ouro em Itapanhoacanga e Córregos. E é justamente em Córregos que encontramos alguns segredos do modo de viver do mineiro.

Córregos resume muito do matiz social e antropológico que ajudou a formar o povo das Minas Gerais. O viver isolado sobre a montanha, a herança dos antepassados indígenas na alimentação e nos costumes, o amor à natureza e o conservadorismo nas relações sociais foram marcantes na história da comunidade e, com certeza, influenciaram muito na formação de nosso povo.

Entre natureza e cultura, mato a dentro, o jeito mineiro foi se forjando a beira do forno de barro e do fogão a lenha, passando receitas de geração em geração, com segredos próprios de cada vilarejo, e guardando nosso mais precioso bem: as boas memórias!

depoimentos

FOTOBACK2.jpg
LilianNunes.jpg

Lílian Nunes, idealização e produção

O olhar de Henrique Cunha para o registro de belezas naturais e saberes tradicionais é muito sensível e impactante. Ao idealizar Matizes de Minas, sabíamos que ele encararia o desafio com maestria. O resultado são belas e sensíveis imagens que, numa cadência ímpar, trazem conhecimento e deleite para recortes de nossa mineiridade.

Henrique-CUnha.jpg

Henrique Cunha, direção

Quando aceitei a parceria para realização do Matizes vi que ali poderia colocar o coração da Griô. Lançado o primeiro episódio fica a sensação de querer revelar outras tantas histórias guardadas entre as montanhas de Minas.

Registrar as histórias se tornou um propósito de vida. Tenho um carinho muito grande por Conceição, terra onde nasci e cresci e onde estão as minhas raizes . Todas os dias que olho para esse lugar enxergo infinitas possibilidades de registro.

Samila.jpeg

Samila Queiroz, roteiro

Escrever sobre Minas é escrever sobre um pedaço de mim. 
O Matizes traz cor, tom e voz as diversas camadas de história que constroem a identidade do mineiro. 
Córregos é uma pérola colonial cravada no coração do espinhaço. Traduzi-la, ainda que brevemente, é resgatar origens, ancestralidade, memória e, sobretudo, afeto.

Nossa

EQUIPE

DIREÇÃO
Henrique Cunha

CAPTAÇÃO DE IMAGENS

Henrique Cunha
Bruno Castro

EDIÇÃO E FINALIZAÇÃO

Henrique Cunha - Griô

ROTEIRO
Samila Queiroz
Sérgio Nésio

IDEALIZAÇÃO, PRODUÇÃO E LOCUÇÃO
Lilian Nunes

COMUNICAÇÃO
Dila Puccini - Patuá

ELABORAÇÃO
Coreto Cultural

GESTÃO DE PROJETO

Gabriela Santoro

GESTÃO JURÍDICA

Daniela Savoi

GESTÃO ADMINISTRATIVA

Ruth-Lea Amaral e Breno Amaral

REALIZAÇÃO

Coreto Cultural

Griô

Instituto Periférico

chancelas.png